29 junho 2014

Crônica: O que eu quero ser?

Você, algum dia desses, já parou pra pensar no que realmente quer ser? Eu me pergunto isso todos os dias, acho que mais por pressão da vida do que por vontade própria. Quando eu era criança adorava participar de peças teatrais, mas eu nunca fui escolhida para um papel emocionante, era sempre quem aparecia uns 2 ou 3 minutos pra não fazer nada, apenas completar o elenco da escola. Quem sempre estava na frente era a Carla, que por sinal era linda e todos (quando eu digo todos são todos mesmo, a escola toda) preferia ela, pois além de roubar os papéis principais, ela também comandava as vozes no coral da igreja (sim, eu participei de um coral) e devido ao seu tom forte, ninguém ouvia que eu também sabia cantar. E eu imaginava se quando crescesse seria como aquela ruiva sorridente, porque na infância as pessoas tendem a se inspirar em alguém para ser no futuro, além da Carla eu também estudava possíveis personalidades da TV, como atrizes da Globo e personagens de filme, é a inocência da idade. Uma coisa que passa. Agora eu vejo que não dá pra ser como ninguém, precisamos ser nós mesmos e não esperar que nos percebam, temos que mostrar porque somos importantes. Se eu tivesse sido menos tímida na infância, talvez pudesse ser lembrada por ter interpretado a princesa principal da última peça que participei, mas eu tive medo e acabei sendo só uma estátua. Não que isso tenha me traumatizado e atrapalhado toda a minha vida, serviu pra me ensinar e a menina nem é minha inimiga, na verdade atualmente ela está tão na bad que deve estar querendo ser outra pessoa. As pessoas são muito apegadas a essa ideia de que precisamos ser diferentes quando só devemos ser o que somos, e que se todos fossem iguais seria totalmente sem graça. O fato é que se colocarmos na nossa cabeça que ser como tal pessoa é a saída, nos esquecemos de que é possível ser melhor e ter nossas próprias vidas, sem máscaras e crises. Hoje eu sou quase adulta, faço faculdade e moro sozinha em uma cidade onde nada faz sentido, mas soa como se fosse meu lugar no mundo (pelo menos agora). Demorei para me aceitar e me conhecer, sinceramente eu nunca soube quem eu era, agora sei. Eu sou uma pessoa totalmente normal- não tem nenhum problema comigo como sempre achei que tinha- e que com os pés no chão e muito amor por mim mesma, eu vou longe. Eu sempre quis mudar de uma hora pra outra, mas agora vejo que a vida nos muda sem que a gente peça ou queira. Sou muito diferente do que era no ensino médio e acredito que as experiências ruins dessa fase onde eu desejava ser outras pessoas, serviram mais do que imaginava. Em um determinado momento precisamos moldar quem somos e plantar nosso futuro- eu sei, é conversa de gente velha de novo, mas confere. De repente eu vi que já completei quase 1 ano de faculdade e fiquei assustada, novamente me questionei sobre o que quero ser e não tive respostas concretas, só uma lista imensa que me leva ao início de tudo isso "o que eu quero ser?". Design, editora de moda, estilista, escritora, blogueira,  acho que quero ser tudo. Será que dá? Não dá pra saber, até porque não posso apressar os passos e sair correndo em busca do futuro sem que seja a hora dele, pois ele vem, já disse. Vem com as mesmas questões de sempre. Devo ir devagar, aliás, todos devem, pois a pressa só nos faz dar mais voltas.

Comente com o Facebook:

10 comentários:

  1. Adorei o texto! Fala exatamente o que eu sinto, o que eu penso... Suas palavras são muito bonitas!
    http://totalmenteanta.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Que bom que você se identificou, gosto quando as leitoras me dizem isso rs obrigada pelo elogio <3

      Excluir
  2. Amei a crônica, acho que todas nós sempre sonhamos em ser alguém ou se parecer com alguém por não nos sentirmos especiais ou por conta dessa timidez. Realmente, a vontade que dá é de agarrar o mundo e correr atrás de cada sonho e cada ideia que nos aparece em mente, mas se a hora certa ainda não chegou o melhor é esperar. Essa crônica serve para tantas coisas, não apenas na questão de ser quem você é, também na amorosa, trabalho, tudo.

    Amei!
    Beijão

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. É vdd, sempre me achava pouco importante e que todas as meninas eram mais que eu ahauhua mas isso muda com o tempo e o amadurecimento, né? <3

      Excluir
  3. Achei que eu era a única que me questionava sobre a vida. É sempre um assunto tão delicado pensar em quem seremos. Tantas possibilidades, tantas coisas, tantas indecisões. Mas no final só podemos ser quem somos mesmo, como você disse. Acredito que se quisermos ser diferentes conseguimos deste que essa mudança seja pra melhor e seja por uma necessidade nossa e não pra ser aquela pessoa legal que todos gostam e nós admiramos, afinal nunca sabemos o que se passa por trás dos sorrisos, né?!
    Mais esse tema que você abordou é muito valido e deve ser muito discutido ainda.
    Ah! esqueci de dizer adorei a maneira como você tratou desse assunto. Incrível, parabéns!
    Beijos.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Acho que esse é assunto muito presente em nossas vidas ahuahua todos os dias me deparo pensando nisso e no que quero ser. É verdade, costumo dizer que a grama do vizinho pode ser mais verde, mas não é o que parece ahuaha obrigada por comentar <3

      Excluir
  4. Franciele, adorei a tua crônica, escreves muito bem! "O que eu quero ser?" talvez seja o questionamento mais feito na história da humanidade, de tanto que se repete na vida de cada pessoa. Ser "você mesmo" é uma lição que a gente parece só aprender com a vida, não é? E o que exercer no futuro pra mim é a pior parte deste questionamento, por que com 19 anos e fazendo um curso na faculdade, ainda penso em trocar por outros dez. kkkkkkkkkkk

    Muito bom blog, guria! Beijos!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sim, é uma coisa que a gente aprende e ao mesmo tempo não aprende, é complicado ahuahauhuau menina, nem fale, faço faculdade e ainda penso em cinquenta mil cursos pra fazer kkk Obrigada pelo elogio <3

      Excluir
  5. Adorei a crônica, você escreve bem!!!
    E bem complexo o assunto, pois acho qeu até hoje não sei o que quero ser, demorei 2 anos para decidir a faculdade que iria cursar porque não sabia se queria ser a Priscila que trabalha em um escritorio, a Priscila que Viaja e realiza sonhos ou a Priscila que ajuda os outros com os problemas mas e simples deixa fluir que a vida te leva. rs


    Beijos

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eu demorei 1 ano pra decidir o que iria fazer rs também não sei o que quero ser, só que quero ser eu mesma e ir fazendo tudo que der rs <3

      Excluir

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Layout: Bia Rodrigues | Alterações: Franciele Honorata | Tecnologia do Blogger | All Rights Reserved ©