01 outubro 2013

Conto- Efeitos do Destino- Parte 13

Depois de meia hora aguentando Andrew fazer piadas sem graça e rir feito idiota com seus amigos, Jennifer apareceu um pouco mais animada que o normal:
- Uuuuh, se anima, gata- disse balançando o copo pra cima.
- Ufa, ainda bem que você apareceu. - demonstrei alívio.
- Que foi? Você precisa se animar, sabe tem uma bebida azul que vai te levar pra outro mundo. Vamos para o bar. – ela já estava me puxando.
- Espera. – voltei para o Andrew e fiz sinal para que ele saísse da roda de amigos- Oi, eu vou ficar um pouco com as meninas, já volto. 
- Por quê? Queria que você ficasse aqui- ele disse como se fosse uma ordem, não um apelo.
- Já volto- dei um beijo rápido e saí com a Jen com a maior sensação de liberdade.
Chegamos no bar e a Jennifer pediu duas doses do “negócio azul”. Eu não costumava beber, dava pra contar no dedo quantas vezes ingeri álcool e me achavam careta por isso. Mas eu não me importava, mesmo que fosse sempre a sã que cuidava das amigas no final das festas. Jennifer me deu o copo e antes que eu pudesse analisar o que iria beber, ela já havia virado toda a dose.
- Ai meu Deus, como você é antiquada. Beba isso logo, vai vai.- disse antes de pedir mais uma dose.
Não tinha outra escolha, tomei de uma vez só e senti minha garganta queimar. Tossi tentando limpá-la, mas o gosto continuava. Depois da queimação senti um gosto delicado de menta e devo admitir que era agradável. Sentei ao lado de Jennifer no balcão e começamos a beber tudo o que tinha pra beber, rindo e falando mal das outras meninas da festa. 
- Cadê a Cath para ver a Emily com o Federico? – perguntei como se fosse a coisa mais engraçada do mundo olhando a loira falsa em um canto com Fed
- Eu não sei. Ela veio? – Jennifer fez cara de espanto.
- Lógico que veio, - cai na risada- você não viu?
- Não. Acho que você já está bem feliz, parou por aqui. Você é bem fraca para beber e sei como fica quando exagera- me reprimiu tirando o copo da minha mão.
- Mas... Mas eu vou me controlar, prometo. Só quero ficar fora de órbita um pouco pra esquecer do namorado bêbado que tenho.
- Hum.- concluiu cortando o assunto.
- Jen, qual é o seu problema? – ela percebeu que me referia ao Andrew.
- Lauren, não tem problema nenhum. – de repente Jennifer estava nervosa e eu não gostei daquela mudança de humor só por ter falado do And.
- Eu ainda vou descobrir o motivo disso tudo, essa antipatia entre vocês- afirmei despretensiosamente. 
- Você está colocando ideias erradas na sua cabecinha, Lau- rebateu com calma afagando meu braço.
- Sei. Cadê a Catherine?
- É a segunda vez que você pergunta dela e pela segunda vez respondo que não sei.
- Acho que ela deve estar com o Jared. - disse baixinho.
- Quem é Jared?- mais uma vez com espanto.
- O irmão dela, oras- respondi como se fosse óbvio. E era.
- Ah, é verdade. Ele é bonito? Você o viu?- agora seu interesse era explicito.
- Vi, ele é...- pensei na hipótese da Jennifer se jogar pra ele e confesso não ter gostado- Nada demais. Só um cara normal.
- Normal como?- ela ajeitou o corpo no banco.
- Normal do tipo “a Jennifer não quer ficar com ele”. – tentei ser o mais sincera possível.
- Só isso? Já tinha planos para me casar com ele.
- Jennifer!!! 
- O que? – perguntou inocente.
- Nada, pede mais bebida e vamos pra pista- me senti mal por mentir, uma hora ou outra ela veria o Jared. Mas por algum motivo desconhecido não queria que ele fosse mais um alvo dela e olha que eu não tinha conversado nem dez minutos com ele. 
Continuamos bebendo, acho que era vodka. Depois de um tempo eu estava bem fora de órbita e esqueci completamente do Andrew. Procurei-o, mas não reconhecia ninguém no meio daquele povo e decidi dançar. Levei Jennifer para a pista e no caminho encontramos Cath, não consegui ver com quem ela estava, mas puxei-a também. A medida que eu dançava minha cabeça latejava e eu sentia o teto rodar, olhei para o chão que parecia um tabuleiro de xadrez e sabia que estava vendo quadradinhos a mais. Fechei e abri os olhos rapidamente, mas agora além de várias quadrados, via cores dançando na minha frente. Talvez eu tivesse bebido demais. Não, com certeza eu tinha bebido demais. Senti a boca seca e comecei a procurar pelo banheiro, mas estava tudo girando. As meninas dançavam e bebiam ao mesmo tempo, Jennifer me passou uma garrafinha colorida escrito "power" e eu tomei sem hesitar, era bem doce e não senti a mesma queimação de antes, contudo sabia que não faria bem. A música trocou e pra mim que não entendia nada, era a mesma batida. Cath me puxou e disse algo no meu ouvido que eu não entendi, mas confirmei balançando a cabeça e depois me perguntei se deveria ter confirmado. Olhei para o lado e vi o Andrew conversando com uma menina que eu não fazia ideia de quem era, achei que estava vendo coisas, o meu Andrew não. Mas continuei olhando enquanto dançava sem ritmo fazendo um passo totalmente inapropriado para aquela música e tive certeza que era ele. Sorrindo para ela e perto demais de seu rosto. Parei no meio da pista e meu coração quis sair pra fora, não sei dizer o que aconteceu, mas pela primeira vez na vida senti ciúmes do Andrew e tentei sair em disparada em sua direção, mas estava tonta e devo ter demorado anos para chegar até os dois. Quando estava mais perto vi que a menina era loira e meu preconceito contra loiras fez aumentar meu ciúmes. Acelerei o passo e joguei meu braço no pescoço de Andrew:
- Estava te procurando. - não era totalmente verdade.
- Eu também- ele empolgou-se- essa é a Thiffany, conhece? Do segundo ano.
Olhei para ela sem soltar Andrew e fiz pouco caso. Thiffany é o pior nome de vadia que existe.
- Não, não conheço. Vamos pra fora?- sugeri pensando na briga que teríamos e que eu iria provocar.
- Mas por que? Eu estou aqui conversando e você... Você bebeu? - ele ria- Cara, quem foi o anjo que te embebedou? Eu nunca consegui fazer isso. - falando daquele jeito parecia normal embebedar alguém.
- Eu não bebi nada- mas meus pés me entregaram ao vacilarem para trás. O que foi motivo a mais para que o Andrew continuasse rindo.
- Você precisa de água. -ele segurou meu corpo e virou-se para a loira alta- Depois nos falamos.
- Depois?- interrompi- O que tem depois?
- Vamos sair, querida- Ele me levou quase no colo para fora e me fez sentar em um banco perto da saída de emergência- Vou pegar água no carro. Quero que você melhore antes de entrar nele, tive o maior esforço para lavá-lo hoje e você sabe...
- O que eu sei?- levantei rapidamente e foi uma péssima ideia. Senti o chão tremer novamente- Eu sei que você bebe feito idiota, me fez vir nessa festa que eu nem queria vir e se estou assim é por sua culpa. Sua culpa, sua- apontei o dedo pra ele.
- Tá, é por minha culpa mesmo, mas senta ai Lauren- ele ordenou.
- Você não manda em nada. Fica quieto- mas acabei sentando porque não sabia quanto tempo aguentaria em pé.
Ele me olhou feio e saiu em direção ao escuro, tentei ver onde Andrew ia, mas minha visão estava borrada. Minutos depois ele voltou com uma garrafa de água e mandou que eu bebesse tudo.
- Depois que você estiver um pouco mais consciente, vou te levar embora.
- Eu vou ficar, minhas amigas estão me procurando. - disse relutante.
- Não estão não. Suas amigas estão ocupadas e você vai embora.
- Você está me julgando por ter bebido, mas também bebeu.
- Tá, mas eu sou acostumado. Você vive de refrigerante em todas as festas e de uma hora pra outra decide secar a adega toda. - nisso ele tirou uma garrafinha metálica do bolso e tomou o líquido.
- Imaginei você como aquele personagem do Harry Potter e o Cálice de Fogo, o do olho falso. - por mais que eu fosse fã do Harry, nem morta lembraria o nome do cara naquela altura da vida.
- Não faço ideia de quem seja. Já se sente melhor?
- Sim- era mentira e ele não acreditou.
- Tá, hoje é seu dia de sorte, vou fingir que acredito. Vamos pra casa.- ele levantou.
- Pra sua? - perguntei.
- Decido no caminho.
Caminhamos até o carro e ele me deitou no banco de trás, o que achei exageradamente exagerado, mas foi bom porque pude descansar minha cabeça no banco, pois estava latejando. Ele deu marcha ré e disse que estava torcendo para que não encontrasse policiais na estrada, mesmo que estivesse mais sóbrio que antes, não sairia ileso caso o parassem. Não consegui me concentrar em suas palavras, queria dormir e ao fechar meus olhos vi toda a festa na minha frente e os balões do teto balançando. Estava delirando e de repente o carro parou, levantei a cabeça e pelo lugar familiar vi que era a casa de Andrew. Ele abriu a porta do carro e segurou quase todo meu peso em um braço para fechá-la depois. Não sei quanto tempo demorou, mas de repente ele estava subindo comigo para o quarto pedindo- implorando- que eu ficasse em silêncio.
- Imagina se sua mãe acorda, - debochei- ela ficaria uma fera e nos colocaria pra fora. 
- É. Por favor, Lau. Agora não. – ele estava aflito.
- Ela já não gosta de me ver aqui, menos ainda bêbada... Mas espera, eu não bebi nada. Não me lembro de ter bebido. Eu só dancei e foi isso, a música me atormentou- estava no pior dos devaneios. 
- É, foi isso mesmo- ele concordou enquanto andava sob a ponta dos pés olhando para todos os lados.
Finalmente chegamos no quarto e Andrew até suspirou quando trancou a porta e conseguiu me colocar na cama. Ele tirou meus sapatos e pegou água no frigobar.
- Tome. Vai ajudar a se recuperar mais rápido.- disse sentando ao meu lado- Porra Lauren, você não devia ter exagerado. Eu disse para ficar comigo.
- Tô cansada de tomar água- deixei a garrafa de canto- Estou vendo estrelinhas caindo- e comecei a rir de novo.
- Imagino. Tente relaxar e durma ok, vou ficar aqui o tempo todo. 
- Você jura juradinho?- fiz um bico e novamente ri.
- Sim- respondeu impaciente- Mas se acalme e durma.
Concordei com a cabeça e fechei meus olhos vendo novamente um monte de gente dançando, Andrew começou a acariciar minha testa e eu senti vontade de beijá-lo, porém não conseguia levantar. Com muito esforço segurei meu peso com os cotovelos na cama e me estendi para alcançar seus lábios. 
- Lau, você precisa dormir...
- Tô quase dormindo. – não tinha noção nenhuma das minhas palavras e me insinuei mais uma vez e ele cedeu.
Como a coisa toda aconteceu eu não sei. Em um momento estava beijando Andrew como qualquer um costuma se beijar e no outro ele me puxara para seu colo, tirando minha jaqueta e depois o vestido de renda. Eu ainda sentia minha cabeça girar, mas estava inquieta com tudo aquilo e não conseguia pensar em nada além do quanto queria o Andrew e no quanto desejava que ele me quisesse também. Ele me deitou na cama novamente e eu senti um calafrio quando nossos corpos se tocaram. Em qual momento ele tirara quase toda a roupa? Algo me dizia que era a hora, fiquei em estado de êxtase como na última vez, mas metade do meu cérebro estava bloqueada- pelo menos parecia- e eu não tinha controle de mais nada. O mundo deixou de ser mundo e eu só tinha certeza de que o Andrew estava ali e que era a hora. Deixei-me levar pelo clima e então éramos um só.

Continua.

Comente com o Facebook:

8 comentários:

  1. *--------*

    Continua, esses continua que deixam com vontade de saber tuudo rsrs

    bjs :*
    http://jessicaestilosinha.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. hauauah ainda bem que estão gostando :)

      Excluir
  2. ai quero mais , pra hoje se puder por favor *-------*
    não acho justo isso , você me deixa curiosa e com vontade pro próximo post hehe



    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Também não acho justo, vou conversar com a autora desse negócio e... AHAHUAAHAUA vou postar logo logo, prometo :3

      Excluir
  3. Como a Lau consegui ser chata até bêbada? Como o And não deu um tiro nela? Pelo menos o Andrew conseguiu alguma coisa nesse capitulo u.u shusauh Estava demorando muito para isso acontecer . Mas camisinha que é bom nada né? cade a segurança ? kkk Beijos irmã <3

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Por que você odeia tanto ela assim? Coitada, foi largada, tá grávida, ela merece mais respeito u_u KKKKKKKKKKKKKKKKKKK eles não passaram no posto pra pegar :( kkkkkkkkk

      Excluir
    2. KKKKKKKKKKKKKKKk do posto não presta u.u rasga/estoura fácil . Via:colegas da minha sala kkkkkkkkk bem feito u.u kkkkk não tenho culpa que ela ñ se cuidou u.u

      Excluir
    3. FUGIU MUITO BEM DESSA HEIN AHAUHAUAHUAHUAHUAHUAHUAHUAHUAHUAHAUHAUAHUAHUAHAUHUHAUAHUA apenas morrendo kkkk

      Excluir

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Layout: Bia Rodrigues | Alterações: Franciele Honorata | Tecnologia do Blogger | All Rights Reserved ©