31 agosto 2013

Conto: Efeitos do destino- Parte 4

VEJA A PARTE 1, 2 E 3.
Foi como se ele tivesse jogado o bolo na minha cara e junto com ele um tijolo, as palavras me atingiram fortemente e eu senti minha cabeça gritar. Concentrei-me na região dos meus olhos para que eu não chorasse e levantei:
- Eu disse chega. - Fixei meus olhos nele demonstrando irritação. Fui até o caixa e larguei o dinheiro no balcão, percebi que Bernard e alguns dos garçons estavam olhando assustados e automaticamente começaram a trabalhar. Passei por Andrew sem encostar-se a ele e sai do café bar segurando as lágrimas. Foi tudo tão rápido, continuei andando em passos largos e de dedos cruzados suplicando para que ele não insistisse em me alcançar, se And viesse atrás me dizendo as mesmas palavras eu iria esbofetear a cara dele.
Andei, não ouvi nada além dos barulhos normais de uma cidade, ninguém me chamou e nenhuma sensação de estar sendo seguida ou algo parecido, parei para tomar fôlego e olhando para trás ele não estava lá. Senti um baque e depois um alívio. Hesitei antes de voltar a andar, olhei novamente e nada. Finalmente ele me dera ouvidos. Não resisti, soltei todo o choro que estava preso.
Como ele conseguia ser tão frio? Tive um dejavu do dia em que ele me disse “Lauren, você precisa tirar essa criança”, ele fora tão sincero e eu perguntei “o quê? Eu não posso, isso... Isso é errado” e chorei um pouco mais. Nunca fui de me importar com regras e tal, mas aborto? Isso era horrível e pecado. Não que fosse uma seguidora assídua de Deus, nem me lembro da última vez em que fui á igreja, mas sabia que era. Eu queria que Andrew entendesse e me dissesse que poderíamos tentar. Tudo bem que nós éramos adolescentes que não sabiam nada da vida, mas era nosso dever encarar o descuido que tivemos. Só que agora era só o meu dever, pois ele iria entrar na faculdade, continuar com seus planos e eu parar no tempo sendo a nova mãe solteira e alvo de fofocas. Minha gravidez não planejada que nem minha mãe sabia estava entrando no terceiro mês e de maneira alguma eu podia tirar uma vida, a criança não tinha culpa. Continuei andando por aquela avenida enorme sem começo e nem fim, acariciei levemente a minha barriga e disse baixinho “eu vou cuidar de você” e ouvi um barulho no estômago. Se fosse em outra situação eu ficaria assustada, mas era só a fome. 
Pessoas passavam ao meu lado e algumas encaravam para me ver chorando, outras mais apressadas nem viram que eu estava ali e eu queria mesmo não ser percebida. O dia estava só começando, lembrei-me das entrevistas, será que alguém emprega uma grávida? Tomara que sim. Entrei em casa e olhei em volta, tinha muito que pensar, mas naquele momento optei por viver tranquilamente como se nada estivesse acontecendo, afinal, eu estava no meu caminho enfrentando da maneira que podia e infelizmente enfrentaria sozinha. Deus, como isso foi acontecer comigo?

Continua.
Meninas, queria muuuuuuuuito saber o que vocês estão achando, é super importante <3

Comente com o Facebook:

12 comentários:

  1. Como assim você escreve 3 linhas e coloca um "continua" tem medo da morte não ? u.u kkkkkk
    Estou gostando, e quero saber o que vai acontecer com o baby, se ela vai perder, vão roubar quando nascer ou vai ser um "final feliz" u.u se quiser me adiantar algo, ficarei muito feliz , ok ?OK Beijão irmã <3

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. KKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKK imaginei que iria brigar comigo mesmo :( kkk Mas juro que vou postar mais de 3 linhas da próxima vez, irmã <3

      Excluir
  2. GEEEEEEEEEEEENTE!! primeiramente, que maldade fran! como você posta só um pouquinho e me deixa aqui nessa aflição ? segundo, GZUUUUUIX! o que ela vai fazer com a criança, vou lançar minha opinião...eu acho que ela fica, cria sozinha e vai sambar na cara dele. hahahahaa beijos

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. HAUHAUAHUAHUAHU tô com medo de vocês se juntarem pra me dar uns tapas depois dessa pequena parte que postei :( auahuaha Olhaaa, Dani, é mais ou menos por aí hein...

      Excluir
  3. Ela deveria ter dado uns tapa na cara dele só acho kkk
    Concordo com a Dani , ela tem que cria sozinha e sambar na cara dele u.u
    Curiosa pra ler a próxima parte ai jesus rs

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. KKKKKKK ela deveria mesmo u_u Logo posto o resto <3

      Excluir
  4. A-M-E-I!! não vejo a hora para os próximos episódios *--*

    ResponderExcluir
  5. Amei, tu escreve muito bem..
    posta logo a continuação resrsr

    ADOREI o BLOG.

    Beijos

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigada pelo elogio, por gostar do conto e do blog ahuaha <3

      Excluir
  6. "Como assim você escreve 3 linhas e coloca um "continua" tem medo da morte não ? u.u kkkkkk" Faço das da Vanessa as minhas palavras! AAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAA
    É tão péssimo como esperar uma nova temporada da sua série favorita ou a parte dois de um filme que você adora!! isso é tortura!
    Fran, eu tô adorando... adoro o jeito que você escreve e você tem a capacidade de fazer com que a gente imagine cada detalhe!!
    E aí, ela vai criar o bebe sozinha?? ele vai se arrepender e correr atrás depois? ela vai achar uma pessoa melhor? posta logo, ein?! u.ú

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. ahuhuauahuaha essa Vanessa influenciando os outros u_u Ai gente, morro de vontade de contar tudo quando vocês me perguntam, mas aí acaba a graça da coisa :( hauhauhuah Só vou dizer que... Mentira, não vou contar nadinha U_u AHUAHAHA

      Excluir

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Layout: Bia Rodrigues | Alterações: Franciele Honorata | Tecnologia do Blogger | All Rights Reserved ©