17 junho 2013

Resenha: 50 tons de cinza

Título: 50 tons de cinza
Autora: E. L James

Sinopse + opinião:  Anastassia Stele é uma estudante de Literatura com 21 anos, focada nos estudos, atrapalhada, insegura e meio infantil, ela não liga para relacionamentos e nunca teve um também, pois em toda sua vida só beijou dois caras. Ela mora com sua amiga Kate que cursa Jornalismo, um dia a mesma  fica doente e pede a Anastassia que faça uma entrevista em seu lugar a um empresário muito influente, então Ana conhece o cara que vai mudar sua vida: Christian Grey, que com seus vinte e poucos anos é inexplicavelmente milionário, solteiro e claro, lindo e cobiçado pelas mulheres. Anastassia nem bem conversa com ele, já fica encantada e logo se apaixona (assim do nada mesmo). Até nesse ponto já percebemos o clichê, ainda mais quando o livro deixa claro que é uma fanfic de Crepúsculo. Acredite, a autora fez o livro baseado na obra da Stephenie Meyer e um dos motivos que me levaram a ler "50 tons" se deve por eu ser fã da saga hahaha. Enfim, a história gira em torno do romance dos dois e contém muitas partes parecidas com a relação de Edward e Bella, até mesmo diálogos em que Christian diz a Ana que ele não é homem certo pra ela e que Ana deve manter distância dele, lembram disso em Crepúsculo, né? Porém, mesmo com aspectos parecidos, a história tem sentidos bem diferentes e eu já explico o por quê. Bom, eu sempre via algo aqui ou ali falando sobre "50 tons de cinza" e a publicidade dele é tão grande que eu, nada curiosa, logo quis saber o que ele tinha de tão legal... Então decidi ler online mesmo e descobri que ele não tem n-a-d-a. Isso mesmo, já vou dizendo que é um dos piores que conheço e que não devia nem ter lido. Os primeiros capítulos são fracos e nem passam aquela vontade de saber o que vai acontecer, sabe? A história não tem emoção, a linguagem é chula, os diálogos são mal escritos, a protagonista é chata e vive em crise com ela mesma e sua "deusa interior", que há propósito é algo ridículo, e o tal do C. Grey é um insuportável e se acha superior (desculpe, gente ahauaahah). Assim que comecei a ler achei que tivesse sido feito por uma menina de 15 anos, pois é bem infantil, mas continuei lendo a fim de descobrir a mágica do livro e minhas expectativas só pioraram quando o erotismo começou, aliás, quando começou e transformou toda a leitura em pornografia, aí desanimei mais ainda com o modo como a história não evolui em nenhum aspecto, uma vez que o contexto é sempre o mesmo. Passando do 5º ou 6º capítulo (não me lembro direito) o que era pra ser um romance vira sexo explícito e muitas vezes nojento. O fato é que Christian é controlador, possessivo e meio problemático e como se já não fosse bem estranho ele também é sadomasoquista e para poder ficar com a Anastassia fez a mesma assinar um contrato aceitando ter todo tipo de relação sexual com ele e virar uma "escrava" que obedeceria todas as suas ordens, inclusive Christian até impõe o que ela deve comer ou vestir e se ela não seguisse essas ou as outras regras passaria por castigos de quaisquer naturezas a serem decididos pelo "amo", o maluco do Grey. Dá pra entender? Pra mim o livro se divide em duas partes: a criancice da Anastassia e sexo. Resumindo pra você, o livro tem umas 400 páginas que se igualam a um filme pornô e não apresenta nada de construtivo. Fim, é só isso. Não sei se o problema é comigo que curto romances melosos e um pouco de ação, mas não gostei nenhum pouco, tanto que além de pular muitas partes eu nem quis terminar de ler e também não me interesso em conhecer "50 tons de liberdade" e muito menos o "50 tons mais escuros", acredito que se o primeiro já é bem apelativo, os outros dois só tendem a piorar. Não consigo imaginar uma adaptação em filme desse livro, assisti ao trailer e se você for em uma locadora vai achar o mesmo na sessão +18. No meu ponto de vista, um romance patético como esse só pode fazer tanto sucesso devido ao fato de se tratar da narração de uma mulher que tem todos os problemas e características que forçam auto-identificação de 50% das mulheres que acabam lendo o livro e achando lindo, quanto aos outros 50% leem pela atração imposta pelo estereótipo de cara rico e bonito vivido por Christian. Só pode ser isso. Finalizando, gostaria de deixar claro á vocês que eu não odeio a saga e também não sou a favor da censura dela que está sendo discutida em muitos fóruns, contudo não recomendo a ninguém e aceitem minha crítica, tudo bem? Se você gostou da história eu até entendo, afinal, gosto não se discute. Quem sabe você tenha se identificado com a personagem ou encontrado um pingo de decência em algum capítulo e até tenha um motivo convincente que mostre que esse livro merece ser lido e apreciado, então comentem a respeito, ok? Beijos.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Layout: Bia Rodrigues | Alterações: Franciele Honorata | Tecnologia do Blogger | All Rights Reserved ©