27 junho 2013

Mas... O que foi que aconteceu mesmo?

 

Eu sei que havia luzes, muitas luzes e que eu usava um vestido prata e estava adorando tudo aquilo. Lembro de todas as pessoas com quem falei na festa e até do momento exato em que meu olhar cruzou com o dele, mas por mais que eu vasculhe lá no fundo do meu subconsciente, não lembro de como deixei um simples ato me afetar tanto. Ele estava sério e parecia não ligar para nada, talvez estivesse vivendo uma festinha particular consigo mesmo, sei lá. Mas ele já havia me notado, algo me dizia... Sexto sentido? Bom, pelo menos eu queria que sim. Eu sorria e mexia no cabelo fazendo o charme que toda garota faz, existe tática melhor que essa? Queria mostrar interesse, mas assim, discretamente, porque eu tinha assistido a um filme nacional poucos dias antes em que o personagem dizia que mulheres nunca podem avançar, apenas esperar e fingir que não estão interessadas e eu sou uma dama, oras. Aí fiquei na minha me perguntando se ele iria falar comigo ou só me ignorar, assim como ignorava o resto do mundo. Sua seriedade era diferente e lógico, despertava curiosidade. Sabe quando você vê aquela pessoa olhando o horizonte e se pergunta o que ela está pensando, mesmo que não seja da sua conta? Então, foi assim. Eu estava intrigada e cansada de sorrir a toa, ele não iria perceber nada daquilo e quando eu estava quase aceitando as falhas da vida, percebi que eu devia ter botado mais fé naquela noite e me preparado mais, pois um "oi" seguido de um sorriso e uma piadinha discreta não era algo que eu estava esperando. Ah, mulher é fogo. Quer falar com o cara a noite toda e quando finalmente acontece, ao invés de manter a postura, sai da zona de conforto, entra na do "e agora?" e consegue tropeçar nas próprias palavras. Então não é necessário contar minha reação, né? Até porque, que importância tem? Não é esse o ponto, queremos lembrar o que aconteceu para tudo isso acontecer, lembra? Depois dessa primeira aproximação acabamos conversando bastante, falamos sobre a bebida e se iria fazer sol no outro dia, depois pulamos para amigos em comum, novidades do mundo e tudo o mais, o que é bem legal para um primeiro encontro... Hum, seria um encontro? Talvez. Ele me chamou para dar uma volta e acabo de lembrar que a lua estava linda. Viu, estamos indo bem! Ou não... A lua, o calor e a noite clara de dezembro, acabou por aí, não tem mais pistas. Acho que o destino armou tudo direitinho, pois eu não sei se foi isso mesmo ou o modo como ele me encantava ao sorrir tranquilamente. E agora? Ele tinha uma habilidade incrível para contar histórias e fazer alguma graça, isso também deve ser contado. Só que continuo sem saber se foram os gestos ou o fato de que ele falava tão bem sobre qualquer coisa, se foi o cheiro do seu perfume Dolce & Gabbana que eu sempre gostei, se foi  a brisa, o momento. Se foi a lua ou a música da minha cantora favorita que, por incrível que pareça, ele também gostava e até cantou alguns pedaços comigo. Vendo por esse lado, pode ter sido as coincidências, né? Afinal, nunca esperamos encontrar de repente alguém que dê certinho com a gente. E também não imaginamos que esse momento em que uma pessoa entra em nossa vida a fim de causar confusão, seja tão avassalador e perturbante quanto não saber justificar o mesmo. Por isso eu ando revivendo aquela cena todos os dias, quem sabe eu ainda consiga decifrar esse mistério e descobrir porquê raios eu ainda me atrapalho toda ao vê-lo chegar e sorrir daquele jeito e mais ainda o por quê do meu psicológico nunca estar totalmente preparado para mais uma dosinha desse amor louco. É, talvez seja só pra eu sentir e continuar assim, sem entender. Quem é que sabe?!

Comente com o Facebook:

4 comentários:

  1. você escreve tão bem! E tenho que perguntar, é verídico ? Ou você apenas deixou a criatividade fluir ? beijos!

    ResponderExcluir
  2. "Afinal, nunca esperamos encontrar de repente alguém que dê certinho com a gente" É a mais pura verdade.
    Me identifiquei muito (acho que todas se identificariam) porque sempre que eu queria falar com alguém que eu estava interessada, primeir jogava charme e quando eu finalmente conseguia falar com a pessoa, falava algo idiota.. e ficava pensando: "não acredito que eu falei isso". HAHA
    Se for realidade esse texto, boa sorte para tentar desvendar esse mistério. Amei a forma como escreve. Beijos! :D

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Se identificou mesmo? Awn, eu fico muito feliz ahauhaha <3 Toda menina faz um charme e tenta chamar atenção de algum jeito, é típico, e também a maioria se atrapalha quando finalmente sai aquele "oi" do nada do cara, que é meu caso haha Então, é realidade sim e tomara Deus que eu descubra, ou seria melhor não descobrir? HAHAUAHUAHAHUA Obrigada!

      Excluir
  3. Se identificou mesmo? Awn, eu fico muito feliz ahauhaha <3 Toda menina faz um charme e tenta chamar atenção de algum jeito, é típico, e também a maioria se atrapalha quando finalmente sai aquele "oi" do nada do cara, que é meu caso haha Então, é realidade sim e tomara Deus que eu descubra, ou seria melhor não descobrir? HAHAUAHUAHAHUA Obrigada!

    ResponderExcluir

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Layout: Bia Rodrigues | Alterações: Franciele Honorata | Tecnologia do Blogger | All Rights Reserved ©